Rui ignora lei aprovada e Alba sanciona

A Assembleia Legislativa da Bahia foi obrigada a sancionar a Lei n° 14.311, aprovada por maioria dos deputados, inclusive da base aliada ao governador, porque Rui Costa (PT) se recusou a fazê-lo. A lei inclui templos religiosos e igrejas na lista de atividades essenciais e foi promulgada pelo presidente Adolfo Menezes (PSD).

O argumento de que o estado vive uma situação de pandemia que obrigaria o fechamento das igrejas não conveceu os deputados. Mesmo depois de meses com lockdown em fins de semana e toque de recolher, as medidas se mostram inúteis, com os caos e as mortes em alta.

O comportamento da pandemia no ano passado mostra que o virus segue um ritmo próprio, alternando subidas e quedas na infecção ao longo do ano. Nas últimas 24 horas, a Bahia registrou mais 3.581 casos e 122 óbitos por Covid, quando o estado esperava um declínio desde a semana passada.

Com a nova lei, as igrejas e templos podem funcionar junto com os outros estabelecimentos essenciais, desde que observados os protocolos sanitários estabelecidos pelo Poder Executivo. Nesta semana, o Presidente Jair Bolsonaro lembrou da importância da igreja para quem está com problemas espirituais causados pela pandemia.

17:52  |  


Muito esforço foi feito para produzir estas notícias. Faça uma doação para repor nossas energias. Qualquer valor é bem vindo.